Obra evita o despejo de mais 160 mil litros de esgoto por mês na Sanga da Rivera

Data: 24/10/13

Garantir o saneamento básico é garantir melhores condições de saúde evitando a contaminação e proliferação de doenças. Embora essa informação já seja do conhecimento de todos, de acordo com o Instituto Trata Brasil, metade da população nacional ainda não tem acesso a redes de coleta de esgoto. Em São Gabriel, em pouco mais de um ano, o número de residências conectadas à rede coletora aumentou entre 13% e 15% e com o passar do tempo esse percentual será ampliado até atingir 96% em 2020, onde 100% deste esgoto coletado será tratado antes de retornar para os rios e córregos da cidade. Para isso, segundo a São Gabriel Saneamento, deverão ser investidos mais de R$ 100 milhões na ampliação da rede no município.

Já visando atingir esta meta, a empresa vem, constantemente, ampliando a rede coletora que já atende aos Bairros Centro e Capiotti. Nas últimas semanas, uma obra de extensão da rede da Rua General Câmara ligou mais de 20 domicílios à malha coletora. A ação foi estrategicamente planejada para evitar que o despejo de mais de 160 mil litros por mês de esgoto não tratado continuasse contaminando a Sanga da Rivera, uma das principais do município. O esgoto doméstico é o poluente orgânico mais comum existente nos rios, sangas e córregos poluídos.

A cada dia, a cena de funcionários da São Gabriel Saneamento trabalhando pelas ruas da cidade, se torna mais comum. Com as obras de ampliação e melhorias ela se tornará ainda mais repetitiva. Entre as obras previstas pela concessionária estão a implantação de 211 mil metros de rede coletora de esgoto, a construção de 11 estações elevatórias e a construção de uma nova Estação de Tratamento dos efluentes, com capacidade para tratar até 13 milhões de litros de esgoto por dia.